Um Casamento Pode Ser Salvo Após Violência Doméstica?

Pessoas que estão em um relacionamento abusivo podem se perguntar se um casamento pode ser salvo após uma violência doméstica. As vítimas podem se agarrar ao relacionamento na esperança de que o agressor mude, apenas para ficar continuamente desapontadas quando a violência acontecer novamente.

Saber a resposta para a mudança do agressor doméstico pode ajudá-lo a decidir se você deve continuar no casamento ou seguir em frente e buscar uma parceria mais saudável.

Porque a violência doméstica é um grande problema?

Antes de saber se um casamento pode ser salvo após a violência doméstica, é vital ir ao cerne da questão.

A violência doméstica é um grande problema porque é generalizada e tem consequências significativas. De acordo com a pesquisa, 1 em cada 4 mulheres são vítimas de abuso físico nas mãos de um parceiro íntimo durante suas vidas.

Embora o abuso físico seja provavelmente o que vem à mente com mais frequência quando se pensa em violência doméstica, existem outras formas de abuso em relacionamentos íntimos, incluindo abuso sexual, abuso emocional, abuso econômico e perseguição.

Todo esse abuso pode ter consequências negativas graves.

A pesquisa mostra que crianças que testemunham violência doméstica sofrem danos emocionais e também podem ser vítimas de violência. Quando crescem, as pessoas que testemunharam violência doméstica quando crianças têm maior probabilidade de serem vítimas de violência doméstica; elas também lutam para formar relacionamentos saudáveis.

As vítimas adultas de violência doméstica também sofrem uma série de consequências, de acordo com especialistas:

  • Perda de emprego
  • Problemas psicológicos, como transtorno de estresse pós-traumático ou transtornos alimentares
  • Problemas de sono
  • Dor crônica
  • Problemas gastrointestinais
  • Baixa autoestima
  • Isolamento de amigos e familiares

Dados os inúmeros resultados negativos para as vítimas e seus filhos, a violência doméstica é certamente um problema significativo e a questão: pode um casamento ser salvo depois de uma violência doméstica requer uma resposta, uma solução!

Um Casamento Pode Ser Salvo Após Violência Doméstica?

Razões pelas quais as vítimas de violência doméstica podem querer romper o relacionamento

Visto que a violência doméstica pode ter consequências devastadoras, não é surpresa que as vítimas queiram deixar o relacionamento.

As vítimas podem abandonar o casamento para superar o trauma psicológico de estar em situação de violência doméstica.

Elas podem desejar encontrar a felicidade na vida novamente e não continuar em um relacionamento em que tenham baixa autoestima ou estejam separados dos amigos.

Em alguns casos, a vítima pode sair simplesmente por segurança. Talvez o agressor tenha ameaçado a vida dela ou o abuso tenha se tornado tão grave que a vítima está sofrendo de ferimentos físicos.

A vítima também pode sair para garantir a segurança de seus filhos e evitar que sejam expostos a mais violência.

No final das contas, a vítima irá embora quando a dor de ficar for mais forte do que a dor de terminar o relacionamento abusivo.

Razões pelas quais a vítima pode permanecer em um relacionamento abusivo ou se reconciliar após violência doméstica

Assim como há razões para deixar um relacionamento abusivo, algumas vítimas podem optar por ficar ou escolher a reconciliação após a violência doméstica porque acreditam que há uma solução para a questão, ‘Um casamento pode ser salvo após a violência doméstica?’

Algumas pessoas podem realmente permanecer no casamento pelo bem dos filhos porque a vítima pode desejar que os filhos sejam criados em uma casa com os dois pais.

Outras razões pelas quais as pessoas podem permanecer em um relacionamento abusivo ou escolher a reconciliação após a violência doméstica incluem:

  • Medo de como o agressor reagirá se ela sair
  • Apreensão de viver a vida por conta própria
  • Normalização do abuso, devido ao testemunho de abuso quando criança (a vítima não reconhece a relação como doentia)
  • Sentir vergonha de admitir que o relacionamento era abusivo
  • O agressor pode intimidar o parceiro para ficar ou se reconciliar, ameaçando com violência ou chantageando
  • Falta de autoestima ou crença de que o abuso foi culpa dela
  • Amor pelo abusador
  • Dependência do agressor, devido à deficiência
  • Fatores culturais, como crenças religiosas que desaprovam o divórcio
  • Incapacidade de se sustentar financeiramente

Em resumo, a vítima pode permanecer em um relacionamento abusivo ou escolher retornar ao relacionamento após a violência doméstica, porque a vítima não tem outro lugar para morar, depende do agressor para apoio financeiro ou acredita que o abuso é normal ou justificado por causa de falhas da vítima.

A vítima também pode amar verdadeiramente o agressor e esperar que ele mude, por causa do casamento e talvez também por causa dos filhos.

Você pode alcançar a reconciliação após a violência doméstica?

Quando se trata da questão de se um casamento pode ser salvo após a violência doméstica, os especialistas tendem a acreditar que a violência doméstica geralmente não melhora.

Eles não procuram soluções para a preocupação "Um casamento pode ser salvo após a violência doméstica", pois as vítimas criam um plano de segurança para deixar o relacionamento.

Outros alertam que a violência doméstica é cíclica, o que significa que é um padrão repetido de abuso. O ciclo começa com uma ameaça de agressão por parte do agressor, seguida por uma explosão abusiva durante a qual o agressor agride física ou verbalmente a vítima.

Depois disso, o agressor expressará remorso, promete mudar e talvez até ofereça presentes. Apesar das promessas de mudança, na próxima vez que o agressor ficar com raiva, o ciclo se repete.

O que isso significa é que se você escolher a reconciliação após a violência doméstica, seu agressor pode prometer mudar, mas você pode se ver no mesmo ciclo de violência doméstica.

Embora ficar preso em um ciclo de violência doméstica seja uma realidade para muitas vítimas, isso não significa que ficar juntos após a violência doméstica esteja fora de questão em todas as situações.

Por exemplo, às vezes, a violência doméstica é tão grave e perigosa para a vítima que não há escolha a não ser ir embora. No entanto, existem outras situações em que pode haver um único ato de violência e, com o tratamento adequado e apoio da comunidade, o casamento pode ser curado.

Como um agressor se torna um agressor

A violência doméstica pode ser o resultado de o agressor crescer com o mesmo padrão de violência em sua própria família, então ele acredita que o comportamento violento é aceitável. Isso significa que o agressor precisará de algum tipo de tratamento ou intervenção para interromper esse padrão de violência nos relacionamentos.

Embora exija empenho e trabalho árduo, é possível que um agressor receba tratamento e aprenda maneiras mais saudáveis ​​de se comportar nos relacionamentos. A reconciliação após o abuso é possível se o agressor estiver disposto a fazer mudanças e mostrar o compromisso de fazer essas mudanças durar.

Então, a questão surge novamente: um casamento pode ser salvo após a violência doméstica?

Bem, ficar juntos depois da violência doméstica pode ter benefícios, desde que o agressor mude. Terminar um casamento abruptamente após um incidente de violência doméstica pode separar uma família e deixar os filhos sem o apoio emocional e financeiro do pai.

Por outro lado, quando você opta pela reconciliação após a violência, a unidade familiar permanece intacta e você evita tirar os filhos do outro progenitor ou se colocar em uma situação em que luta para pagar a moradia e outras contas por conta própria.

Os agressores podem mudar?

Uma questão importante quando se considera a possibilidade de um relacionamento sobreviver à violência doméstica é Os agressores domésticos podem mudar? Um casamento pode ser salvo após a violência doméstica?

Conforme mencionado anteriormente, os abusadores frequentemente se envolvem em comportamento violento porque testemunharam a violência quando crianças e estão repetindo o padrão. Isso significa que um agressor doméstico precisará de intervenções profissionais para aprender sobre os malefícios da violência e descobrir maneiras mais saudáveis ​​de interagir nas relações íntimas.

A resposta para a possibilidade de os agressores domésticos mudarem é que eles podem, mas é difícil e exige que eles se comprometam com o trabalho de mudança. Simplesmente prometer “nunca mais fazer isso” não é suficiente para promover uma mudança duradoura.

Para que um agressor faça mudanças duradouras, ele deve identificar as causas básicas da violência doméstica e se curar delas.

Pensamentos distorcidos são uma causa comum de violência doméstica, e obter controle sobre esses pensamentos pode ajudar os agressores a controlar suas emoções, para que não tenham que agir de forma violenta em relacionamentos íntimos.

Aprender a lidar com as emoções dessa maneira requer intervenção profissional de um psicólogo ou conselheiro.

Um casamento pode sobreviver à violência doméstica?

Um agressor doméstico pode mudar com intervenção profissional, mas o processo pode ser difícil e requer trabalho. Depois da violência doméstica, a reconciliação exige evidências de mudanças duradouras por parte do agressor.

Isso significa que o agressor deve estar disposto a obter ajuda para interromper seu comportamento violento e mostrar mudanças reais ao longo do tempo.

Alguns sinais de que um agressor doméstico mudou:

  • O agressor tem menos reações negativas ao conflito e, quando há uma reação negativa, é menos intensa.
  • Seu parceiro avalia suas próprias emoções em vez de culpá-lo quando estressado.
  • Você e seu parceiro são capazes de administrar conflitos de maneira saudável, sem violência ou ataques verbais.
  • Quando chateado, seu parceiro consegue se acalmar e se comportar de maneira racional, sem se tornar violento ou ameaçar abuso.
  • Você se sente seguro, respeitado e como se tivesse liberdade para tomar suas próprias decisões. 

Lembre-se de que você deve ver evidências de mudanças reais e duradouras para alcançar a reconciliação após a violência doméstica. A mudança temporária, seguida da reversão a comportamentos violentos anteriores, não é suficiente para dizer que um casamento pode sobreviver após a violência doméstica.

Lembre-se de que a violência doméstica geralmente envolve um padrão, pelo qual o agressor se envolve em violência, promete mudar depois, mas retorna aos métodos violentos anteriores.

Ao perguntar a si mesmo se um casamento abusivo pode ser salvo, você deve ser capaz de avaliar se seu parceiro está realmente fazendo mudanças ou simplesmente fazendo promessas vazias de parar com a violência.

Prometer mudar é uma coisa, mas promessas por si só não ajudarão uma pessoa a mudar, mesmo que ela realmente queira. Se seu parceiro está empenhado em parar com o abuso, você deve cuidar para que ele não apenas vá ao tratamento, mas também implemente novos comportamentos aprendidos durante o tratamento.

Em casos de reconciliação após a violência doméstica, as ações realmente falam mais alto do que palavras.

Quando permanecer no casamento após a violência doméstica não é a escolha certa

Pode haver situações em que o agressor pode mudar por meio do compromisso de receber tratamento e do trabalho árduo necessário para fazer mudanças duradouras que não envolvam violência.

Por outro lado, existem situações em que o agressor não pode ou não vai mudar e ficar junto depois da violência doméstica não é a melhor escolha.

Muitos especialistas alertam que os abusadores de violência doméstica raramente mudam.

Mesmo aqueles que conseguem que um relacionamento seja salvo depois da violência doméstica acreditam que a mudança é possível sabem que é extremamente difícil e requer muito tempo e esforço. O processo de mudança pode ser doloroso tanto para o agressor quanto para a vítima, e raramente a violência doméstica melhora da noite para o dia.

Se você está lutando com a questão se um relacionamento abusivo pode ser salvo, pode ser melhor tentar um período de separação antes de tomar a decisão de escolher ou não a reconciliação após a violência doméstica.

Isso estabelece um limite entre você e o agressor e pode mantê-lo protegido de novos abusos enquanto você e o agressor trabalham na cura.

Se você decidir se reconciliar após a separação, é melhor ter uma política de tolerância zero para violência futura. Se você achar que o agressor retorna à violência após a violência doméstica, a reconciliação provavelmente não será possível.

Em última análise, permanecer em uma situação de abuso pode prejudicar sua saúde mental, colocar seus filhos em risco de trauma e abuso e até mesmo ameaçar seriamente sua segurança física.

Portanto, embora possa haver situações em que um agressor pode mudar depois de obter ajuda e se esforçar seriamente, a mudança verdadeira e duradoura é difícil. Se o seu parceiro não for capaz de impedir o abuso, talvez você precise encerrar o relacionamento para sua própria segurança e bem-estar.

Conclusão: um casamento pode sobreviver à violência doméstica?

A resposta para: pode um casamento ser salvo após a violência doméstica será diferente para cada casamento. Embora muitos especialistas alertem que os agressores domésticos raramente mudam, é possível alcançar a reconciliação após a violência doméstica se o agressor estiver disposto a aceitar ajuda profissional e fazer mudanças verdadeiras e duradouras para corrigir o comportamento abusivo.

Essas mudanças não ocorrerão da noite para o dia e exigirão muito trabalho árduo do agressor.

Um casamento pode ser salvo após a violência doméstica dependendo se o agressor está disposto a trabalhar duro para crescer e mudar de forma que ele possa controlar o estresse e o conflito sem se tornar violento ou verbalmente agressivo?

Se, após um período de aconselhamento e / ou separação, o agressor continuar a agir violentamente, é provável que você esteja preso no mesmo ciclo repetitivo de violência doméstica.

Nesse caso, você pode ter que tomar a dolorosa decisão de encerrar o casamento para proteger seu próprio bem-estar físico e mental, bem como a segurança emocional de seus filhos.

Encontrar a resposta para como um casamento pode ser salvo após a violência doméstica não é fácil. Se você está optando por buscar ou não a reconciliação após a violência doméstica, é importante consultar profissionais, incluindo profissionais de saúde mental e talvez até mesmo um pastor ou outro profissional religioso.

Você deve pesar cuidadosamente os prós e os contras de sair e salvar o casamento, e no final, se você não pode estar seguro no casamento, você merece estar livre da dor do abuso físico e emocional.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem