6 perguntas a fazer antes de um divórcio

6 perguntas a fazer antes de um divórcio
Quase toda semana, eu falo com alguém cujo casamento está em crise. Eles muitas vezes se sentem desesperados, exausto e sozinhos. É um cenário desolador quando os sonhos de "felizes para sempre" são esmagados, e no meio de toda a dor e confusão, é quase impossível pensar claramente sobre quais os próximos passos a tomar.
 
As pessoas que optam por se divorciar, muitas vezes suportaram anos de frustração e exaustão, mas o problema é, temos a tendência de tomar as nossas piores decisões quando estamos exaustos e frustrados. Estas perguntas podem ajudá-lo a se aproximar destas decisões importantes da vida com mais clareza.
 
O divórcio é uma decisão muito grande para tomar de qualquer maneira ou emocionalmente, por isso, reserve um tempo para pensar no que você faz em seguida. Para quem considera o divórcio como uma opção, eu fortemente o incentivo a perguntar a si mesmo as seguintes perguntas:

1. Será que fiz tudo ao meu alcance para salvar esse casamento?

Com certeza, você não pode controlar as ações de seu cônjuge ou os desejos dele, mas será que você tem feito tudo ao seu alcance para trazer a cura e a esperança? Se não, escreva uma lista de coisas que você pode fazer e comece a fazê-las. Sempre vale a pena lutar pelo casamento! Para saber mais sobre isso, confira o meu artigo a verdade sobre o divórcio.

2. Estou confiando em minha fé mais do que nos meus sentimentos?

Sentimentos são inconstantes e, em muitos cenários de divórcio, as pessoas estão buscando uma ilusão de felicidade em vez de confiar no plano de Deus para trazer plenitude, saúde e paz.

3. O divórcio é a melhor opção possível?

Eu acredito que em alguns cenários onde há um padrão de confiança quebrada através do adultério ou abuso físico, a única opção viável é o divórcio, mas na maioria dos cenários, o divórcio cria mais problemas do que resolve. Na maioria dos casos, os casais com casamentos duradouros não são aqueles que nunca tiveram um motivo para se divorciar; eles são simplesmente aqueles que optam por lutar com os seus problemas juntos.

4. Quem são as minhas maiores influências agora?

Quando você está no estado frágil da ruptura conjugal, sua rede de apoio é vital e eles terão uma quantidade enorme de influência em suas decisões. O melhor conselho que você receberá virá de pessoas que você ama e ama o seu cônjuge e ama a Deus. Se eles estão perdendo alguma parte dessa equação, os seus conselhos não serão aterrados com sabedoria.

5. O que eu estou ensinando meus filhos me divorciando?

Nunca há um cenário em que o divórcio não afeta as crianças envolvidas. Sua fé e sua segurança são muitas vezes quebradas e as consequências podem durar décadas. Eu sei porque eu já lidei com divórcio dos pais constantemente. Se você está deixando o seu cônjuge por uma outra pessoa, em termos de caráter, não é muito diferente do que levar os seus filhos a uma família diferente e trocá-las por outras crianças que você acha mais atraente ou mais educados do que os seus próprios filhos.

6. Estou disposto a ficar solteiro para o resto da minha vida?

Se você responder "Não", então a sua motivação para o divórcio é provavelmente insalubre. Se você vê o divórcio como uma oportunidade aproveitar a vida ou para encontrar alguém que vai gostar de você e fazer todas as coisas que o seu cônjuge não está fazendo, então você precisa ficar e corrigir o seu próprio casamento. Se para você a grama parece mais verde do outro lado, você não precisa se mover; você precisa ficar em casa e regar sua própria grama!
 
Se você se encontra no meio de um divórcio doloroso, por favor, não perca a esperança. Saiba que Deus te ama, Ele está com você e Ele tem planos extraordinários para sua vida. Não perca a esperança. Por favor, dedique alguns minutos para ler as quatro coisas que Deus quer que você se lembre quando a vida fica difícil.
 
Se este artigo 6 perguntas a fazer antes de um divórcio lhe ajudou de alguma forma, por favor compartilhe-o nas redes sociais usando os links abaixo para que possamos incentivar outras pessoas também!
Artigo Anterior
Próximo Artigo

artigo escrito por:

Pastor, web design, blogueiro profissional, autor do site "O Pregador" e vários outros projetos na internet. Adora compartilhar experiências e ajudar pessoas desenvolver o verdadeiro potencial

0 comentários: